Abre Menu

Centro de Biotecnologia
e Terapia Celular do HSR

O que são células-tronco?

As células-tronco são células indiferenciadas e não especializadas, com potencial prolongado ou ilimitado de autorrenovação e capacidade de diferenciação em diversos tipos celulares.

Quais são os tipos de células-tronco?

As células-tronco podem ser classificadas considerando-se o seu potencial de diferenciação celular ou de acordo com a sua origem.

De acordo com o seu potencial de diferenciação, as células-tronco podem ser totipotentes, que são aquelas capazes de originar todos os tipos celulares embrionários e extraembrionários. Podem ser pluripotentes, que são aquelas com capacidade para gerar todos os tecidos dos três folhetos embrionários do organismo, como é o caso das células-tronco embrionárias. Ou ainda as células-tronco multipotentes, que apresentam a capacidade de originar tipos celulares mais restritos.

De acordo com a sua origem, as células-tronco podem ser classificadas em células-tronco adultas, que são aquelas obtidas do indivíduo adulto, ou podem ser classificadas como células-tronco embrionárias, as quais são obtidas nos estágios iniciais do desenvolvimento embrionário, a partir da massa interna do blastocisto.

Essa classificação está em constante mudança com os avanços das pesquisas na área. Mais recentemente, foi introduzido o conceito das células-tronco pluripotentes induzidas, que são obtidas a partir de células adultas e reprogramadas à pluripotência a partir da expressão de alguns fatores de transcrição.

O que é terapia celular utilizando células-tronco?

É a terapia que utiliza células-tronco ou células derivadas de células-tronco com a finalidade de substituir ou reparar células ou tecidos que sofreram algum dano.

O que é um estudo clínico?

É o estudo desenhado para responder questões relacionadas a uma nova terapia ou      novo método de aplicar tratamentos já existentes. Esses estudos são usados, por exemplo, para avaliar a segurança e a eficácia de uma determinada intervenção em uma população com uma doença específica (no caso de estudo clínico experimental). 

Qual é a diferença entre um tratamento aprovado para a prática clínica e um estudo clínico?

O tratamento já aprovado para prática clínica é aquele que mostrou, através de estudos clínicos, que é seguro e eficiente para o tratamento de determinadas doenças. Em geral, estes tratamentos são aprovados por agências reguladoras nacionais ou regionais. No caso do Brasil, a Agência nacional de saúde (ANVISA) faz esse papel de reguladora destas práticas, em consonância com o Conselho Federal de Medicina.

Já os estudos clínicos, estes propõem intervenções experimentais de um novo tratamento que ainda não foi testado em seres humanos (ou ainda não foi testado para a doença em questão), ou que é diferente do tratamento aplicado na prática clínica rotineira. Sua segurança não foi comprovada previamente e não há garantias de que ele servirá definitivamente para o tratamento de determinada doença.